Datas: 1808 - Vulcão da Urzelina

Última semana de Abril de 1808 (25 a 30)

  • Sismos que vêm aumentando de intensidade e frequência.

1 de Maio de 1808 (Domingo)

  • Forte sismo, já de dia, faz fugir o povo da igreja.
  • Cerca do meio dia forte sismo acompanhado de grande estrondo e "sobre o monte mais alto da Urzelina" ergue-se grande nuvem de fumo.
  • "chuva" de areias e pedras

3 de Maio de 1808 ( Terça-Feira)

  • Já "rebentou" o fogo em 7 lugares.
  • A cratera mais activa situa-se junto à ribeira do Arieiro.

4 de Maio de 1808 (Quarta-Feira)

  • De madrugada, surge nova cratera "entre as ribeiras" expelindo areias e gases sulfurosos.
  • Juiz de Fora, acompanhado da família e outros, das Velas, parte para o Pico.

5 de Maio de 1808 (Quinta-Feira)

  • Juiz de fora envia 2 barcos às Velas para transportar gente para o Pico.

7 de Maio de 1808 (Sábado)

8 de Maio de 1808 (Domingo)

  • Surge erupção em Santo Amaro.
  • Lavas escorrem pela Ribeira do Almeida.

11 de Maio de 1808 (Quarta-Feira)

  • No lugar das Areias, em Santo Amaro, surgem 2 novas crateras de onde escorrem "duas grandes ribeiras de matéria fluida, e com tanta força que no segundo dia se achava mais d'um moio de campo em Mistério".

12 de Maio de 1808 (Quinta-Feira)

13 de Maio de 1808 (Sexta-Feira)

  • Diminuição da actividade vulcânica em Santo Amaro mantendo-se, nas crateras iniciais sobre a Urzelina, com a particularidade de se notar aumento da intensidade quando a maré enche.

16 de Maio de 1808 (Segunda-Feira)

17 de Maio de 1808 (Terça-Feira)

  • O Vigário das Manadas desloca-se à; igreja de São Mateus, acompanhado de diversos homens, para salvar o que fosse possível quando, repentinamente, se verificou uma "Nuvem Ardente" que queimou trinta e tantas pessoas, das quais uma foi levada ao mar, pelos ares, e sete outras morreram, neste dia, queimadas.
  • Procede-se à transferência do Santíssimo Sacramento para a ermida de Santa Rita, nas Manadas.
  • As lavas correndo por cinco "ribeiras" chegam ao mar.

18 de Maio de 1808 (Quarta-Feira)

  • O Vigário da Urzelina, querendo deslocar-se à povoação da Ribeira do Nabo, tem de se passar à parte Norte da ilha por "não poder passar pelo Sul", intransitável em virtude dos "tufões" e das "ribeiras de fogo".

22 de Maio de 1808 (Domingo)

28 de Maio de 1808 (Sábado)

  • Cessou a emissão de material vulcânico em Santo Amaro.

5 de Junho de 1808 (Domingo)

  • Emissão de pedras e areias, pelas crateras sobre a Urzelina, que, em virtude da direcção do veo, atingem as Velas.

10 de Junho de 1808 (Sexta-Feira)

  • Em virtude da grande quantidade de cinzas e areias, que desde o dia 5 são expelidas, os prejuízos nas culturas e a mortandade nos gados, por não terem que comer, são muito importantes.
  • Inicia-se a acalmia e progressiva extinção da actividade vulcânica.

8 de Julho de 1810 (Terça-Feira)

  • Ao pretenderem "limpar o poço de baixa-mar da freguezia, no qual haviam cahido escorias da lava que correra junto d'elle, morreram asfixiados dentro do mesmo por emanações sulfurosas" três homens da freguesia de Santo Amaro que lá tinham ido de faxina.

Bibliografia consultada:

ARQUIVO DOS AÇORES volume V, pag. 437.
Edição da Universidade dos Açores
Ponta Delgada - 1981
(de onde se extraíram as citações)

Cunha, M. A. - NOTAS HISTÓRICAS
Edição da Universidade dos Açores
Ponta Delgada, 1981

   

© 1998-2012 Bráulio Fonseca e Galaia - CSI

Ilha de São Jorge, Açores, Portugal