1543.04.15 - Primeiro Compromisso

"Autodo livro da Santa Confraria da Santa Misericordia.
Anno do Nascimento de Nosso Senhor Jesus Christo de 1543 annos aos 15 dias do mês de abril do dito anno, nesta villa das Velas na casa do Espirito Santo d'ella se ajuntaram muita parte dos moradores da dita villa e seu termo e ordenaram a confraria da Santa Misericordia porque o até aqui não foi ainda feito por ordenança de irmãos nem mordomos apontados para a dita confraria só se haviam feito mordomos até dia de Santa Isabel, João Alves e João Dias, tecelão, genro de Rui Vaz e arrecadadores até o dito tempo e logo por todos os que ahi acharam presentes todos os que se ahi achavam que foram trinta homens a maior parte d'elles todos da governança da dita villa foi acordado que os irmãos fossem cincoenta e os mordomos fossem dois e que servissemum anno a saber, serviriam do dia da visitação de Santa Isabel a outro tal dia do outro anno e os recadadores que fossem vinte e quatro para cada anno a saber para recadadores como para mordomos e que com estes cincoenta irmãos, assinarão este livro todos e serão obrigados tanto que ouvirem tanger a campainha da Santa Casa acudir á dita Casa para quando morrer algum defunto para se vestirem nas vestias da Santa Misericordia para irem acompanhar os defuntos e para ajudarem todo e que puderemem esta Santa Confraria e assim serão obrigados todos estes cincoenta irmãos quando algum irmão fallecer o irem acompanhar do que na terra estiverem ao seu enterramento, e a dizerem-lhe por sua alma cincoenta Padre-Nossos e cincoenta Ave-Marias por sua alma e rogaram a mim Joam Varella que fizesse este auto como irmão que sou e escrivão da Casa e que agora logo elegeriam este verão aquelle que lhes bem parecesse.
João Varella, o escrevi.- Gonçalo Fernandes, João Alvares, Francisco Gonçalves, George Nunes, Simão Rodrigues, Antonio Gonçalves, Gaspar Gonçalves, Belchior Gonçalves, Roque Afonso, João Paes, Roque Fernandes, Pedro Afonso, João Lourenço, Alvaro Nunes, Nuno Alvares, Simão Vaz, Diogo Fernandes Rebello, João Rodrigues, Pedro Rodrigues, Simão Fernandes, Francisco Romeiro, Simão Alvares, Belchior Gonçalves, Gaspar Vaz. E muitas outras assinaturas que se não puderam ler, como se declara no auto de 15 de janeiro de 1713, em que o padre José de Sousa Soares, provedor e mais mesarios mandaram trasladar o primitivo compromisso e outros documentos desorganizados pelo saque que resultou da invasão francesa dada nas Velas no mês de setembro de 1708.
(O original no archivo da Santa Casa da Misericórdia das Velas).
Extractado por José Candido da Silveira Avellar.
Horta, dezembro de 1904."


in ARQUIVO DOS AÇORES volume XIII, pag. 121.
Edição da Universidade dos Açores
Ponta Delgada - 1983

   

© 1998-2012 BrŠulio Fonseca e Galaia - CSI

Ilha de São Jorge, Açores, Portugal